Perfil Perfil

Aviação

Há filas de trânsito na pista do aeroporto de Lisboa (que o El País chama “Caos”)

Congestionamento no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, não acontece apenas nos “check-ins” ou nas bagagens. Vídeo mostra filas de trânsito de veículos automóveis dentro da própria pista. O “El Pais” dá-lhe um novo nome: “Caos’”

Texto Anabela Campos e Pedro Santos Guerreiro

Foi durante décadas Aeroporto da Portela, há dois anos mudou para Humberto Delgado, mas o jornal espanhol El País sugere-lhe agora um novo nome: Caos.

“El aeropuerto de Lisboa se llama ‘Caos’”, é este o título da notícia do diário espanhol publicada este sábado AQUI, logo justificado na entrada: “com intermináveis filas em maio, situou-se no 1.182º lugar do mundo en pontualidade”.

Já regressamos à notícia do El País, avancemos antes com mais um sintoma do esgotamento da capacidade do aeroporto de Lisboa, que em 2017 atingiu o seu maior tráfego de sempre, superando os 26,6 milhões de passageiros transportados. A julgar pelos dados do primeiro trimestre, o recorde deverá ser batido de novo este ano.

As imagens e as notícias em Portugal têm sido recorrentes, mostrando o congestionamento no Aeroporto: atrasos nos serviços de fronteiras do SEF, nas zonas de “check-ins”, na recolha de bagagens e até para sair do aeroporto. Um vídeo amador recolhido na semana passada, a que o Expresso teve acesso, mostra que há também filas de trânsito de veículos de serviço nas zonas de pista do aeroporto.

Neste vídeo, o que pode parecer uma faixa de estacionamento é na verdade uma fila de trânsito, vendo-se cerca de duas dezenas de veículos em fila, transportando passageiros, bagagens, alimentação para os aviões, etc. A situação não é vulgar e tem como consequência potenciais atrasos nos voos.

A situação de congestionamento no Aeroporto de Lisboa não é nova, mas o alerta é. Enquanto o governo aponta a criação do aeroporto do Montijo como solução, as companhias aéreas têm dramatizado as insuficiências, avisando que Lisboa pode entrar em colapso antes de o Montijo estar em funcionamento, o que não acontecerá antes de 2022, se as previsões do governo se cumprirem.

Como o semanário Expresso alertava este sábado, os alertas apontam para um possível “apagão” no aeroporto no verão do próximo ano, o que leva as companhias aéreas a reclamar intervenção no Humberto Delgado para aumentar a sua capacidade. A própria ANA reconhece que “a situação é desafiante”.

A notícia do El País explica bem o “desafio”. Se Lisboa é o 79º aeroporto em tráfego, é o 12º pior em 1200 aeroportos do mundo analisados pela a empresa de estatísticas OAG. O “ranking”, que foi noticiado em Portugal em maio, analisa apenas a pontualidade dos aviões, mas o “El País” escreve que a (má) qualidade de serviço se estende também aos passageiros: “Literal e oficialmente, não há sítio nem para tantos aviões nem para tanta gente no principal aeroporto de Portugal”. O tal que o jornal chama de “Aeroporto Caos”.