Perfil Perfil
Henrique Raposo

A tempo e a desmodo

Henrique Raposo

Neymar e Trump: uma ligação improvável (e não falo dos penteados)

Contactos do autor

Neymar, ator de reconhecidos méritos, é uma arma improvável de Donald Trump e da cultura reacionária que o sustenta. Sim, Neymar e Trump partilham uma ligação para lá da excentricidade capilar. Não, não estou no pagode. Neymar representa aquilo que Ann Coulter, uma das vozes mais histéricas do trumpismo, apelida de efeminização da cultura e dos homens americanos através do soccer.

O soccer enquanto invasão (ou a imbecilidade dos reacionários americanos) Foto Shaun Clark / Getty Images

O soccer enquanto invasão (ou a imbecilidade dos reacionários americanos) Foto Shaun Clark / Getty Images

O futebol americano, desporto em que homens dão marradas como bodes no pré-acasalamento, prepara homens para a guerra e para a vida dos negócios. O soccer, desporto em que os homens fingem dor em quedas melodramáticas, produz rapazes efeminados e dependentes. É esta a tese (desculpem o exagero) de Ann Coulter. A pseudotese revela a tremenda irritação da cultura wasp em relação às mudanças demográficas em curso. Mudanças, essas, que também são visíveis no desporto. O soccer é cada vez mais uma realidade tão americana como o basebol ou o basquetebol. E, ao dizer que a adesão americana ao soccer é um dos sintomas da decadência moral dos EUA, o humor involuntário de Coulter revela o estado demencial da direita americana, que não sai dessa bolha neurótica chamada Fox News.

Ao dizer que a adesão americana ao soccer é um dos sintomas da decadência moral dos EUA, o humor involuntário de Ann Coulter revela o estado demencial da direita americana

Claro que o problema, aos olhos de Coulter, não é apenas o fingimento da dor e a simulação de mergulhos de Neymar. Louríssima e americaníssima, Coulter vê no soccer uma das infiltrações das gentes de tez castanha e de fé católica. A cultura wasp continua a ser profundamente anticatólica; parte da atual reação à migração ainda é um reflexo da reação contra os papistas. Papistas escurinhos, ainda por cima.